Entrevista de Rebecca para a The Glass Magazine

De volta ao futuro – A The Glass Magazine fala com a atriz sueca Rebecca Ferguson sobre os seus papéis em ‘Duna’, ‘Missão: Impossível’ e as lições que podemos aprender com o espaguete

Rebecca Ferguson está em uma locação em Budapeste, possivelmente vestida como uma alta sacerdotisa de ficção científica com olhos azuis brilhantes e um bufante de três pontas. ‘Duna‘, a reinterpretação de Denis Villeneuve em 2020 da adaptação de Frank Herbert feita por David Lynch em 1984, precisa de refilmagens próprias, então Ferguson está falando comigo por telefone entre as tomadas do que parece uma galáxia muito, muito distante…

De acordo com a lei do “épico de ficção científica a ser lançado em breve”, ‘Duna‘ está envolto em sigilo. Por enquanto, não há vídeo dos bastidores e nenhuma foto vazada para dar uma ideia da visão de Villeneuve para a personagem de Ferguson, Lady Jessica, a mãe agnóstica de idade do herói cósmico de Timothée Chalamet, Paul Atreides.

Então, eu faço a única coisa que você pode fazer ao imaginar o novo elenco de um reboot e anexar a cabeça desencarnada de Ferguson ao corpo decapitado de sua predecessora Lady Jessica. Et voilà, Rebecca Ferguson: ao vivo de Budapeste, possivelmente parecendo uma suma sacerdotisa lynchiana futurista, de olhos azuis e pesadamente bufantes.

Ela ligou de volta de um local com melhor cobertura telefônica e estamos discutindo cidades, desde as “incríveis” (Budapeste), até as habitáveis ​​(Londres, a segunda casa de Ferguson), via LA, que, para dizer o mínimo, não se encaixa em nenhum dos critérios dos olhos azuis brilhantes da mulher de 37 anos. “A ideia de me mudar para LA nunca, nunca, esteve na minha agenda,” ela declara.

A primeira coisa que chama a atenção sobre Ferguson é que ela é apaixonada por falar sobre praticamente tudo. “Olha, há pessoas que eu amo, que amam lá… e eu entendo. Quando as pessoas olham para você e sorriem, é uma alegria“, ela faz uma pausa, revivendo os primeiros encontros com LA e sorri… “E é uma felicidade que é tão adorável, cativante e leve – mas não posso demorar muito. Eu só quero fumar um cigarro e meio que explodi-lo na cara de alguém.” Parece que um pedido de desculpas está na ponta da língua, mas ela decide que isso estragaria a piada e apenas diz: “Eu não fumo, aliás“.

Ela passa grande parte do ano em uma vila de pescadores sueca – “um mundo diferente”, ela diz, possuindo todas as coisas que ama: barcos a remo, o oceano, os seus amigos, peixes grelhados e a quantidade certa de sorriso e alegria. O desdém aberto e apenas um pouco sardônico de Ferguson pela loucura da alegria desenfreada sugere, para mim, duas coisas. Um: embora ela claramente ame a Suécia, o lugar de seu nascimento e a pátria de seu pai, o lado inglês de sua mãe é poderoso.

E dois: a capacidade de “entrar e sair”, como ela diz, continua sendo uma prioridade. Quando adolescente, Ferguson era desconhecida no mundo, mas famosa na Suécia como a estrela da novela ‘Nya Tider‘. Quando o show acabou e ela tinha 15 anos, ela saiu. “Estudei, tive um filho lindo, trabalhei em restaurantes, lojas, Deus… em hotéis – fiz de tudo.” Tudo menos atuar, exceto alguns papéis menores e não recorrentes na TV e filmes de estudantes em troca de almoço grátis.

Nunca quis ir para a escola de teatro, principalmente porque não queria ser como todos os outros suecos do cinema. Sem querer criticar Lars Norén ou… Ingrid Bergman, mas tudo o que eu conseguia pensar era ‘Não quero ser uma estudante de teatro com uma porra de boina roxa na cabeça, não quero ser como eles’. Eu acho que, agora, olhando para trás, eu estava com medo de não entrar.

Onze anos depois de ‘Nya Tider‘, Ferguson estrelou o filme em língua sueca ‘Um Caminho para Antibes‘. “E essa foi a porta de entrada para mim.” Logo depois, ela foi escalada para o papel da Rainha Elizabeth no drama de época da BBC, ‘The White Queen‘, que era menos uma esteira rolante para “o grande momento“, já que era uma esteira rolante para 11. Mas interpretar a Rainha Elizabeth na BBC tem suas desvantagens – desempenhe bem o papel e o mundo inteiro pensará que você é inglesa.

Ser chamada de Rebecca Ferguson provavelmente não ajuda, e o seu inglês é perfeito demais para ser considerado uma segunda língua. Acima de tudo, porém, tem a ver com a versão da identidade inglesa que vive tão proeminentemente em Ferguson: a versão de sua mãe. “Minha mãe é essencialmente inglesa”, diz ela. “Quando ela veio para a Suécia, palavras e expressões como ‘whoops-a-daisy, ‘holy moly’ e ‘kerfuffle’ ainda existiam – era como ela falava e se tornou a maneira natural de falar para mim também.

Isso fez de Ferguson uma britânica convincente, estabelecendo as bases para a troca mais perfeita entre a Inglaterra e a Suécia desde que a própria mãe de Ferguson se integrou tão habilmente em seu lar adotivo que, em 1975, ela recebeu o endosso final: aparecer na capa de um álbum do ABBA. E ainda, além do jargão caprichoso, Ferguson não é rígida, estóica nem reprimida – três fundamentos do britanismo.

Em programas de bate-papo, ela é gregária, tátil e calorosa, e isso confunde as pessoas que seguem a métrica “se parece como uma britânica e soa como uma britânica…“. É um pouco como pintar um gato com listras pretas e brancas e dizer: “o que há de errado com essa zebra e por que é um flerte tão ultrajante?” “Eu vi aqueles comentários sangrentos! Isto é tão estranho. Isso me faz pensar que eu deveria parar de tocar as pessoas de uma vez, o que é triste porque, você sabe… nós estamos aqui, estamos juntos, somos seres humanos.

O problema é que, quando o seu vagão é atrelado a um veículo como ‘Missão: Impossível‘, onde cada parcela é um evento e cada parcela termina com a promessa de outra parcela (Episódios 7 e 8 estão em andamento), as aparições no chat são intermináveis. O boato é que o número sete será filmado no espaço, o que vale a pena trocar para o carrossel de sofá de talk-show, dependendo de onde você está na altura. “No espaço? Isso é novidade para mim, mas com TC nada me surpreende.

TC é, obviamente, o Sr. Missão Impossível: Tom Cruise. “Então,” eu pergunto a ela, ela faria isso? “Eu provavelmente diria ‘foda-se’ para isso. Alturas são o meu maior medo e eu não estou fazendo terapia cognitiva atuando… então, novamente, eu nunca pensei que iria pular 40 metros daquela casa em Viena (‘Missão: Impossível – Nação Secreta’). Isso foi terrivelmente aterrorizante. Mas eu fiz isso… e fiz algo que nunca pensei que faria, então talvez seja tudo apenas terapia?

Ele é uma força da natureza”, diz Ferguson. “Nunca conheci ninguém como ele.” Há um fascínio único em torno de Cruise, devido à sua vida pessoal e à ideia de que a linha que o separa de seu personagem de ‘Missão: Impossível‘, Ethan Hunt, tornou-se quase inexistente; que o ator se transformou permanentemente no personagem, que agora passa os seus dias fazendo o papel do ator que já foi. O que é uma sugestão maluca, obviamente, mas Cruise é tão intensamente fascinante que não consigo evitar que essas ideias passem pela minha cabeça sempre que o vejo entrevistado fora do personagem“.

Pergunto a Ferguson como é ter um relacionamento com alguém tão divisivo, que invoca opiniões tão fortes e se ela se sente estranhamente protetora de Cruise. “Eu não acho que posso. Eu sinto que não há necessidade de ser protetora com ele. Ele é poderoso… do jeito que ele é. Sinto que sou apoiada por ele o tempo todo. ” Ela também não se cansa de ser questionada sobre ele. “Ele é uma pessoa interessante para se falar e uma pessoa muito interessante para se conhecer.

O charme juvenil, a necessidade de estar sempre fazendo coisas divertidas para todos enquanto nos certificamos de que todos se sintam seguros… Às vezes, começamos a rir e a desafivelar o cinto de segurança só para foder com ele”, que estranhamente é a única anedota de Tom Cruise que eu acho que sempre vou precisar. “Tivemos belos momentos filmando juntos.

Com essa nota, com nossos 30 minutos atribuídos ao fim, pergunto a Ferguson o que “juntos” significa para ela, mas ela parece ter entrado novamente em qualquer galáxia estrangeira em que começou a entrevista, e a questão é mastigada no caminho. Ela responde, “espaguete?” que, após algum esclarecimento e deliberação, decidimos manter, apesar da confusão. “Porque união é o oposto de isolamento e segregação”, e nada representa a importância da união como a visão profundamente triste de um único fio de espaguete.

  • Fonte I Traduzido e Adaptado por: Laura I Equipe do RFBR

Reveladas as capas exclusivas da edição de ‘Duna’ da revista Empire


Warning: mysqli_error() expects parameter 1 to be mysqli, null given in /home/yyn0u4r53ur7/public_html/wp-content/plugins/copperminecs/copperminesc.php on line 1398

Warning: mysqli_error() expects parameter 1 to be mysqli, null given in /home/yyn0u4r53ur7/public_html/wp-content/plugins/copperminecs/copperminesc.php on line 1398

Na última década, Denis Villeneuve provou ser uma potência da ficção científica. Com ‘A Chegada‘, ele fez um dos filmes de ficção científica mais emocionantes da memória recente, e então ele o seguiu com ‘Blade Runner 2049‘ – uma sequência visualmente impressionante e instigante de um dos melhores filmes de todos os tempos, que merece totalmente estar ao lado do original de Ridley Scott. Agora ele está lidando com um dos mais ousados e mais densos sci-fi de todos os tempos – um que tece uma mitologia expansiva de planetas desérticos, famílias rivais e gigantescos vermes da areia saqueadores. Prepare-se para ‘Duna‘.

A nova edição da Empire traz uma grande exclusividade mundial, indo no set da ambiciosa adaptação de Villeneuve, conhecendo os Atreides e ficando cara a cara com os Fremen. Há duas capas de ‘Duna‘ para adquirir – a primeira é da Casa Atreides, uma das grandes casas nobres de Landsraad. Na frente está o jovem protagonista de Timothée Chalamet, Paul Atreides, com Oscar Isaac como o seu pai, o duque Leto, Rebecca Ferguson como a bruxa de Bene Gesserit, Lady Jessica, e o mestre de armas de Josh Brolin, Gurney Halleck.

Na segunda capa, você encontrará o povo Fremen indígena do planeta Arrakis – incluindo Stilgar de Javier Bardem, líder de uma das tribos Fremen, e Chani, membra da tribo de Zendaya. Depois, há Sharon Duncan-Brewster como Liet-Kynes (troca de gênero do romance original), que se tornou incrustada entre os Fremen, e Jason Momoa como Duncan Idaho – que não é um Fremen, mas cujo destino pode estar ao lado deles.

A capa do assinante deste mês, criada exclusivamente para a Empire por Jane Yun e Enrique Torres na Bond, em colaboração com os cineastas por trás de ‘Duna‘, é um vislumbre aterrorizante dos vermes da areia colossais de Arrakis – com um ameaçando engolir um esquecido Paul Atreides por inteiro.

Fique ligado para mais novidades de ‘Duna‘ em breve e encontre a edição nas bancas e para venda a partir de quinta-feira, 03 de setembro.

  • Fonte I Traduzido e Adaptado por: Laura I Equipe do RFBR

Denis Villeneuve comenta sobre a escalação de Rebecca como Lady Jessica em ‘Duna’

Na data de ontem, durante o 23rd Shanghai International Film Festival, foi divulgada uma nova entrevista de Denis Villeneuve, na qual o diretor de ‘Duna‘, entrevistado pela sua esposa Tanya Lapointe, comentou sobre o filme e o processo de escalação do elenco. Sobre Rebecca como Lady Jessica, a sua fala foi:

Então, uma atriz que eu escolhi espontaneamente logo após Timothée, eu diria que foi Rebecca Ferguson por muitas razões. Rebecca, novamente, é uma grande artista. Eu precisava de uma atriz capaz de retratar as diferentes camadas, já que Lady Jessica é uma personagem muito complexa de se interpretar.

Primeiro trailer de ‘Duna’ estreará com o relançamento de ‘A Origem’ em comemoração ao seu 10º aniversário no próximo mês

Com ‘Tenet‘ a caminho como o primeiro e possível grande sucesso de bilheteria após o fechamento dos cinemas em todo o mundo devido à pandemia de COVID-19, sabemos há algum tempo que a Warner Bros deveria usar o relançamento de ‘A Origem‘, de Christopher Nolan, como uma oportunidade de marketing para a última novidade do diretor. E agora, finalmente sabemos quais outros filmes estão programados para participar do especial, como “uma espiada exclusiva de alguns longas selecionados do calendário da Warner Bros“.

Juntamente com uma visão geral de ‘Tenet‘, que se dizia inicialmente destinada à convenção cancelada CinemaCon 2020 em Las Vegas, há apenas alguns meses, estão planejados o primeiro trailer de ‘Duna‘, de Denis Villeneuve, e um novo vídeo de ‘Mulher-Maravilha 1984‘, de Patty Jenkins, para serem exibidos como parte do relançamento. Esta informação vem do Palads Teatret da Dinamarca, onde o relançamento está previsto para ser exibido a partir de 12 de agosto, juntamente com outros países, antes dos EUA em 21 de agosto.

Os planos de lançamento on-line para os dois trailers ainda não foram anunciados – no entanto, o último citado provavelmente fará a sua estreia pública oficial durante o evento DC FanDome em 22 de agosto, e ambos também certamente serão exibidos com ‘Tenet’ quando o filme iniciar a sua distribuição internacional na semana seguinte.

Screenshot at Jul 29 17-45-35.png

Atualmente, ‘Duna‘ está programado para ser lançado em 18 de dezembro.

Fonte I Traduzido e Adaptado por: Laura I Equipe do RFBR

Tom Cruise tem como objetivo filmar cenas de ‘Missão: Impossível 7’ na Noruega

Tom Cruise espera voltar à Noruega este ano para filmar parte de ‘Missão: Impossível 7‘.

Cruise conversou no sábado com o ministro da Cultura da Noruega, Abid Raja, sobre as filmagens no país neste outono. Raja twittou que ele “espera trazer Tom Cruise e ‘Missão: Impossível’ de volta para a Noruega” e também divulgou uma breve gravação de sua conversa com o ator.

É um país maravilhoso. Mal posso esperar para voltar para lá”, disse o ator no clipe. “Estou muito empolgado, como toda a equipe, em voltar.

A Noruega foi palco das cenas mais memoráveis de ‘Missão: Impossível – Efeito Fallout‘, nas quais Cruise escala um penhasco. O Preikestolen – ou o Pulpit Rock, em inglês – é cercado por picos de montanhas com uma impressionante queda de 600 metros em um fiorde.

Raja disse ao site norueguês VG que ‘Missão: Impossível 7‘ tem como objetivo filmar no noroeste da Noruega, conhecido por seus espetaculares fiordes, montanhas, cachoeiras e litoral acidentado. Ele também sugeriu que ‘Missão: Impossível 8‘ (os dois filmes dirigidos por Christopher McQuarrie foram planejados para serem filmados consecutivamente) deveria considerar filmar cenas no país.

No entanto, o ministro reconheceu que as atuais restrições ao coronavírus podem representar um desafio logístico para a produção, acrescentando que ele discutirá o retorno do filme com o governo: “O coronavírus significa que, no momento, não é possível vir para a Noruega da mesma maneira como antes ”, ele disse. “Teremos que discutir isso no governo e fazer regulamentos antes de dar permissão para filmar na Noruega. Cumpriremos as regras e as restrições de coronavírus. Vou levar minha conversa com Cruise ao governo.

Atualmente, a Noruega pede quarentena de pessoas vindas de vários países fora da UE – incluindo os EUA – com um período de observação de 10 dias. No entanto, Cruise esteve no Reino Unido nas últimas semanas para o reinício da produção e grande parte da equipe do filme está sediada lá, então isso pode não ser um problema. Entramos em contato com a Paramount para comentários.

Recentemente, o Reino Unido relaxou suas regras de quarentena para grandes produções de filmes e TV. Cruise discutiu a retomada do filme no Reino Unido com o secretário da Cultura, Oliver Dowden. A produção também foi filmada na Itália no início de 2020.

A Noruega introduziu protocolos detalhados em relação ao coronavírus para produções no início deste ano. Entre as produções locais a serem retomadas no país estão a série dramática da Freittle-NRK, Exit.

  • Fonte I Traduzido e Adaptado por: Laura I Equipe do RFBR

Assista ‘Cold Night’ e confira as screen captures de Rebecca no longa-metragem


Warning: mysqli_error() expects parameter 1 to be mysqli, null given in /home/yyn0u4r53ur7/public_html/wp-content/plugins/copperminecs/copperminesc.php on line 1398

Warning: mysqli_error() expects parameter 1 to be mysqli, null given in /home/yyn0u4r53ur7/public_html/wp-content/plugins/copperminecs/copperminesc.php on line 1398

Recentemente, o IMDb anunciou que a estreia prevista do filme ‘Cold Night‘ de André Costa seria para este ano, divulgando conteúdos exclusivos da obra, incluindo um trailer. O que não se sabia na época era que o diretor do longa já havia divulgado o filme em sua conta oficial no Vimeo. Sendo assim, fizemos as capturas de tela de Rebecca como Jenny Sorensen, além de traduzir a sinopse oficial. Lembrando que ‘Cold Night‘ foi gravado em meados de 2008, ou seja, uma história de 12 anos finalmente estreada.

Durante uma noite fria de inverno em Copenhague, um detetive particular usa os argumentos de Hamlet de Shakespeare para confrontar a Jante Law Culture (o código de conduta escandinavo que elogia a igualdade) e assim aliviar a sua crise de meia-idade. Enquanto isso, cinco outros personagens (sua ex-noiva, seu parceiro de negócios, sua mãe judia, uma aspirante a bruxa e uma prostituta) desafiam sua inaptidão social inata. À medida que a noite passa, mistério, romance e traição se entrelaçam, pois os cinco personagens habitam o mundo mental e físico do protagonista, tornando cada vez mais difícil separar o ser do aparente.

‘Missão: Impossível 7’ recebe dispensa especial para retomar as filmagens no Reino Unido

Missão: Impossível 7‘ recebeu uma dispensa especial para retomar as filmagens no Reino Unido. O próximo filme da franquia de ação de longa data parou a sua produção em fevereiro, quando a pandemia de coronavírus atingiu a Itália com mais força, e desde então permanece suspensa. À medida que as restrições às produções cinematográficas e televisivas começaram a aumentar em todo o mundo, vários membros do elenco e da equipe de ‘Missão: Impossível 7‘ indicaram planos de retomar o trabalho em setembro, com as cenas ao ar livre entre as primeiras a serem filmadas. O filme terá que adotar as novas diretrizes de combate ao coronavírus do Reino Unido para grandes produções.

Quase todas as grandes produções foram encerradas desde meados de março, e apenas algumas indicaram a sua intenção de retomar novamente nas próximas semanas. As sequências de Avatar começaram há apenas algumas semanas, e Jurassic World: Dominion retomará o trabalho hoje. O último longa também está sendo filmado no Reino Unido e implementará várias novas medidas de saúde e segurança para fazer isso.

Normalmente, o Reino Unido exigiria uma quarentena de duas semanas para os membros do elenco e da equipe que viajam de outros países, mas ‘Missão: Impossível 7‘ estará entre aqueles isentos disso, de acordo com a Variety. Tom Cruise conversou com o secretário de cultura Oliver Dowden na semana passada e ajudou a criar esse novo plano, que se aplica apenas ao elenco e à equipe que vêm à Inglaterra especificamente para trabalhar em produções de cinema e televisão que se qualifiquem como britânicas, de acordo com as classificações do British Film Institute. Não está claro quais outras produções serão incluídas nisso além desta.

Isso significa que Cruise e o restante dos que trabalham no longa não terão que participar de uma quarentena de duas semanas antes de iniciar a produção novamente. Não está claro se eles agora pretendem começar antes de setembro, mas parece provável que o Reino Unido seja o primeiro lugar para onde irão. A falta de um atraso adicional de duas semanas provavelmente é voltada para evitar mais adiamentos, pois ‘Missão: Impossível 7‘ já foi adiado de julho de 2021 para novembro de 2021.

Missão: Impossível 8‘ será filmado logo após o sétimo capítulo da franquia e será lançado um ano depois. Visto que a sequência anterior da franquia, Missão: Impossível – Fallout, foi um enorme sucesso financeiro e crítico, faz todo o sentido para a Paramount e para Cruise impulsionar um início mais rápido da produção. Os próximos dois filmes já prometem ser tão cheios de ação quanto os que vieram antes, então esperamos que não sejam atingidos por mais atrasos para que o público possa vê-los o mais rápido possível.

  • Fonte I Traduzido e Adaptado por: Laura I Equipe do RFBR

Hugh Jackman comenta sobre trabalhar com Lisa Joy em ‘Reminiscence’ e a sua abordagem durante cena com Rebecca

O colunista de cultura do Los Angeles Times, LZ Granderson, recebeu oito atores das principais séries [e possíveis indicadas ao Emmy] para uma ampla discussão em videoconferência sobre como adicionar nuances culturais aos roteiros, atuar contra o esteriótipo e, sobretudo, encontrar a humanidade em todos os personagens. Durante a conversa, Hugh Jackman comentou sobre trabalhar com Lisa Joy, que dirige o seu mais novo filme com Rebecca chamado ‘Reminiscence‘, dando ênfase sobre a abordagem da diretora em uma cena de sexo filmada entre eles. Confira o vídeo abaixo e logo em seguida a transcrição realizada pela nossa equipe:

É engraçado porque, na minha carreira, o meu primeiro trabalho foi com uma mulher. E eu terminei recentemente de fazer um filme com Lisa Joy e foi tão incrível trabalhar com ela. Eu mal posso esperar, eu sei que Nicole [Kidman] e tantas de vocês tem se engajado em tornar isso mais presente, e eu acho isso incrivelmente inspirador. E, você sabe, são apenas detalhes. Teve uma cena, eu não fiz muitas em minha carreira, mas teve uma cena de sexo no filme e fazer ela com uma diretora mulher é completamente diferente. Particularmente com Lisa, a coisa toda foi completamente diferente. Foi genial. Então, Lisa disse: “eu vi cada cena de sexo que já foi feita em Hollywood, literalmente cada uma em cem anos, e eu não vi uma onde eu poderia atualmente imaginar a mulher tendo um orgasmo“. Ela afirmou: “cada posição, cada aspecto, não estava funcionando, e esse é o meu objetivo“. Então, eu não quero dar spoiler da cena, mas aí vai.